como sobreviver submerso.

Quarta-feira, 24 de Junho de 2009
Depois do Sócrates manso, uma Manuela Ferreira Leite solta e irónica

«Eu vi e revi para ver se em algum momento ele tinha sussurrado - porque ele falou em tom muito baixo...»

 

Algumas pessoas foram-no dizendo mas ninguém acreditava. Mesmo agora, muitos continuarão certamente a negar que seja possível. A verdade é que quando as coisas começam a correr bem as pessoas soltam-se. Eu já a imaginava mandando piadas subtis ao Pacheco Pereira (na minha cabeça, ele ria-se quando o alvo eram o Primeiro-Ministro ou Luís Filipe Menezes mas remexia-se na cadeira com um trejeito facial dúbio por baixo da barba quando ela procurava saber se ele costuma ir tomar banho à noite na fonte luminosa ou no monumento ao 25 de Abril) mas agora é oficial: Manuela Ferreira Leite tem sentido de humor e já se sente à vontade para o utilizar. Claro que a actuação de Sócrates na semana passada ajudou: até o sisudo mais empedernido tem vontade de sorrir e mandar piadas ao lembrar-se dela.

 

De resto a entrevista correu-lhe bem. Mesmo sem apresentar grandes propostas conseguiu justificar as críticas que faz. Esteve solta e credível. E com o ataque à compra dos 30% da Media Capital por parte da PT (totalmente justificado - quando é que os negócios em Portugal passam a poder ser analisados apenas pelo seu mérito económico-financeiro?) ganhou um aliado inesperado: Ricardo Costa ficou tão agradecido pela chance de ajudar a desmascarar o arranjinho que, em certos momentos do debate pós-entrevista na SIC Notícias, pareceu disputar com Graça Franco o lugar de comentador mais pró-PSD. Bom, considerando que os outros eram Luís Delgado e Mário Bettencourt Resendes, também não era difícil.



publicado por José António Abreu às 22:39
link do post | comentar | favorito

Domingo, 7 de Junho de 2009
A falta de vergonha da SIC.

A SIC está há mais de quinze minutos a pedir a elementos dos vários partidos que comentem uma sondagem que só não é irrelevante como disse António Barreto, chamando a atenção para o facto das circunstâncias terem mudado, porque é benéfica para o PS. Claro que este ganha a distância significativa do PSD e - surpresa - o CDS cai abruptamente. Isto é pior jornalismo que o da muito criticada Manuela Moura Guedes.



publicado por José António Abreu às 23:09
link do post | comentar | favorito

dentro do escafandro.
pesquisar
 
Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


à tona

Depois do Sócrates manso,...

A falta de vergonha da SI...

reservas de oxigénio
Clique na imagem, leia, assine e divulgue
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!
tags

actualidade

antónio costa

blogues

cães e gatos

cinema

crise

das formas e cores

desporto

diário semifictício

divagações

douro

economia

eleições

empresas

europa

ficção

fotografia

fotos

governo

grécia

homens

humor

imagens pelas ruas

literatura

livros

metafísica do ciberespaço

mulheres

música

música recente

notícias

paisagens bucólicas

política

porto

portugal

ps

sócrates

televisão

viagens

vida

vídeos

todas as tags

favoritos

(2) Personagens de Romanc...

O avençado mental

Uma cripta em Praga

Escada rolante, elevador,...

Bisontes

Furgoneta

Trovoadas

A minha paixão por uma se...

Amor e malas de senhora

O orgasmo lírico

condutas submersas
Fazer olhinhos
subscrever feeds