como sobreviver submerso.

Segunda-feira, 27 de Abril de 2015
Traduções
Ao escrever o texto sobre Linda Fiorentino e The Last Seduction ponderei usar o termo «bitch» em português. Verifiquei traduções possíveis. Como seria de esperar, o Dictionary.com oferece várias hipóteses: a female dog; a malicious, unpleasant, selfish person, especially a woman; a person who is submissive or subservient to someone, usually in a humiliating way. Numa tradução directa para português, o Google escolhe «cadela». Já o Bing... bom, o Bing não está com meias-medidas. Ora façam o teste.


publicado por José António Abreu às 13:40
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 24 de Abril de 2015
O andróide e a maçã

33°30'52.5"N 73°03'33.2"E

 

Façam o favor de introduzir as coordenadas acima no Google Maps. Mas depressa, antes que a Google reaja.

 

(Se encontraram tudo normal, o que se passava era isto.)
Adenda: a Google já resolveu a questão; uns brincalhões puseram nas coordenadas indicadas (algures no Paquistão) o símbolo do sistema operativo andróide a urinar numa maçã.


publicado por José António Abreu às 16:06
link do post | comentar | favorito

Sábado, 27 de Outubro de 2012
Perder a empatia

Afirma que as redes sociais e a Internet estão a mudar o cérebro dos adolescentes. Porquê?

É uma questão muito complexa. É como perguntar se um carro é bom ou mau. Tudo depende da forma como se conduz.

Mas é muito crítica em relação ao uso das novas tecnologias informáticas.

Nunca disse que os computadores são maus para o cérebro. O que disse foi que o cérebro humano se adapta ao ambiente que o rodeia, por isso somos uma espécie tão bem sucedida. E nos últimos anos houve mudanças enormes no ambiente e nos estímulos que rodeiam a mente humana, sobretudo devido ao aparecimento da Internet e de outras tecnologias informáticas. A situação actual é semelhante às alterações climáticas. Eu chamo-lhes alterações mentais. Há quem diga que estamos condenados, outros defendem que a ciência pode ajudar a resolver o problema.

Como?

Essa mudança mental tem a ver com a forma como o cérebro processa a informação. Alguns pais dizem que os filhos terão acesso às novas ferramentas informáticas quer queiram quer não. Mas eu defendo que devemos controlar esta área.

De que forma?

O acesso a alguns sites e às redes sociais influencia muito a forma como as crianças e os adolescentes se relacionam uns com os outros, assistimos a uma perda de empatia nas novas gerações. Muitos jovens têm problemas de identidade e de relacionamento com os colegas. Os videojogos são altamente viciantes, podem gerar distúrbios de atenção e agressividade. Os motores de busca estão a alterar a forma como processamos a memória e armazenamos os conhecimentos.

Os estudos mais recentes mostram que há mesmo alterações físicas no cérebro, por causa do uso frequente da Internet, dos videojogos e das redes sociais...

Exacto. Os dados mostram que há zonas do cérebro com anormalidades devido ao uso excessivo de videojogos e tecnologias informáticas. Uma das alterações é a forma como se liberta dopamina [a molécula produzida no cérebro responsável pelas sensações de prazer]. Verificou-se que as crianças que jogam videojogos começam a ter padrões cerebrais idênticos aos jogadores viciados em casinos.

[...]

No seu estudo encontrou casos dramáticos de dependência da Internet?

Sim, há casos de crianças que passam o tempo fechadas no quarto a brincar com o computador.

E que consequências tem isso?

Desligam-se dos amigos e têm muita dificuldade em interpretar os sentimentos de outras pessoas, não conseguem descodificar a linguagem corporal e o tom de voz em situações normais. Não conseguem distinguir se uma pessoa está triste ou alegre porque estão desligadas da realidade. As relações sociais precisam de muito treino, cara a cara, e há uma nova geração que só comunica por computador.

Isso pode explicar a falta de compreensão, os incidentes violentos, os tiroteios, por exemplo?

Se eu disser "O meu pai morreu" e a resposta for "Isso não me interessa nada", seria algo que me perturbaria muito. Ora este tipo de respostas está a aumentar. Este Verão, um atleta olímpico britânico, Tom Daley, cujo pai tinha morrido pouco tempo antes das provas, recebeu mensagens horríveis quando ganhou a medalha de bronze e não a de ouro, como se esperava. Eram coisas do género: "O seu pai teria vergonha da sua prestação." Esse tipo de atitude era impensável há alguns anos. As pessoas estão a perder a empatia.

 

(Da entrevista de Luís Silvestre a Susan Greenfield, cientista britânica, especialista em fisiologia do cérebro, professora de farmacologia sináptica na Universidade de Oxford, na revista Sábado desta semana.)



publicado por José António Abreu às 23:35
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 11 de Setembro de 2012
Podemos consultá-la descansados; a Wikipedia defende a credibilidade do seu conteúdo com unhas e dentes
Philip Roth detectou um erro na entrada da Wikipedia sobre o seu livro A Mancha Humana: na enciclopédia é referido que ele se inspirou na vida de uma determinada pessoa para escrever o livro quando na realidade se inspirou na vida de outra. Pediu a correcção do erro. A Wikipedia respondeu que ele não é uma fonte suficientemente credível e exige corroboração. Tudo numa carta aberta de Roth à Wikipedia.


publicado por José António Abreu às 08:57
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 4 de Setembro de 2012
Hiperligação

Há um post no Delito de Opinião que apenas em parte encaixa neste blogue pacato onde pouca gente deixa comentários. Se desejarem lê-lo, dêem um salto até lá. Podem usar um dos seguintes links mas cuidado com os outros:

Link 1.
Link 2.
Link 3.
Link 4.


publicado por José António Abreu às 21:37
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Quarta-feira, 5 de Maio de 2010
Ainda estou a tentar decidir que resultado é mais útil mas já sei de qual gosto mais

Primeira sugestão do Google a partir das letras «ho»: hotmail.

 

Primeira sugestão do Bing a partir das letras «ho»: how many exclamation points in portnoy’s complaint.



publicado por José António Abreu às 12:58
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010
Facebook
Até nos amigos passámos a dar mais importância à quantidade do que à qualidade. E também no campo da amizade impera hoje o espírito da competição (o prazer que dá ter mais «amigos» que o parceiro do lado) e do interesse (afinal, se não tivermos «amigos», quem é que nos vai dar presentes para expandirmos a nossa Farmville?).


publicado por José António Abreu às 19:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 27 de Dezembro de 2009
Mistério
Facebook? Não é para mim. Não quero ser conhecido. Demasiado conhecido, pelo menos. Há uma componente de mistério que me é essencial. Se souberem como sou, o que faço, por onde ando – a monotonia da minha vida, enfim – tudo fica em risco. Sei que há quem consiga fazer novelas de existências vazias (todas as existências são vazias, até). A televisão prova-no-lo abundantemente, através de reality  shows como o Big Brother, segmentos de mexericos em programas diurnos e aquelas patéticas visitas da MTV a casa de «estrelas». O Facebook também. Mas eu não tenho capacidade para acrescentar uma capa de histeria à minha banalidade. Seria ignorado. Seria humilhado (mesmo que não fosse, sentir-me-ia humilhado). Sou um homem. Sou uma mulher. Sou um macaco com uma sorte tremenda quando prime teclas num teclado de computador (e, no entanto, ainda não me saiu um texto capaz de fazer sombra ao Camões). Sou o que quiser, desde que possa (também) não ser o que sou.

tags: ,

publicado por José António Abreu às 20:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 11 de Dezembro de 2009
Acho que só temos de tamanho médio
É compreensível que os autores de blogues procurem saber o que motiva gente a entrar nos seus, digamos, estabelecimentos virtuais. É também compreensível que, com frequência, as descobertas os deixem perplexos. Pedro Norton anda preocupado com os search terms que levam pessoas dos motores de busca até ao É Tudo Gente Morta (que menciono pela segunda vez em poucos dias). Depois de ler com atenção os dois (um, dois) posts do Pedro sobre o assunto, reconheço que alguns dos termos de busca utilizados são curiosos. Mas, honestamente, não creio que qualquer deles seja tão embaraçoso para a equipa do É Tudo Gente Morta como o que mais pessoas traz a'O Escafandro é para mim. Começou tudo com este post. Desde então parece não decorrer um dia sem que uns quantos brasileiros (não me perguntem a razão mas são quase sempre brasileiros) venham disparados do Google à espera de encontrar aqui «pénis pequenos». O que, como perceberão, não é propriamente algo que me deixe eufórico.


publicado por José António Abreu às 13:49
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sábado, 8 de Agosto de 2009
Benjamin Button

Estar no interior do país com uma ligação móvel à net que demora quinze segundos a carregar um ecrã branco é uma experiência que se deve saborear. A sério. Como quando o trânsito se arrasta sem parecer sair do sítio. Não são situações para ficar exasperado. São situações para esboçar um ligeiro sorriso e para visualizar a Carrie-Ann Moss (as senhoras podem visualizar o Keanu Reeves, se preferirem) suspensa no ar, braços e pernas flectidos, enquanto uma câmara rodopia à sua volta. Ou para nos imaginarmos no lugar da câmara sobrevoando as tais filas de trânsito parado. São momentos de transcendência. De ioga do quotidiano, sem necessidade de fazer o pino. E são também experiências físicas. Físicas no sentido de Newton e, especialmente, de Einstein. Se fosse tudo ainda um pouco mais lento (apenas mais um bocadinho), o tempo recuaria. Olho para o ecrã do computador onde há mais de dois minutos devia ter surgido a página de blogues do Sapo e sinto-me prestes a rejuvenescer.



publicado por José António Abreu às 13:10
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sábado, 16 de Maio de 2009
Consultando a CIA.

De vez em quando, para saber informações sobre um país, vou ao site da CIA e consulto o World Factbook (Fbook para os amigos). Não é lá muito ilustrado mas está bem organizado e a montanha de dados que surge parece credível. Acho sempre interessante saber que a taxa de fertilidade de Kiribati é estimada este ano em 4,04 e que a taxa de desemprego no Turquemenistão se presumia rondar 60% no ano de 2004, o que coloca os nossos queridos governantes sob uma nova luz. (Já a histeria dos militantes do Bloco de Esquerda local deve ter sido ouvida em Buxoro, no vizinho Uzbequistão). No entanto, considerando os famigerados e frequentes enganos da CIA, fico sempre na dúvida. Não haverá erros no posicionamento das vírgulas (que, sendo a CIA americana, são pontos)? Não serão 40,4 filhos por mulher ou 6% de taxa de desemprego? Os mapas estarão certos? Não será afinal o Turquemenistão uma região da Turquia? E há ainda duas outras questões que me preocupam. Mesmo aceitando as informações como verdadeiras, a CIA deixa perguntas sem resposta. Por exemplo: por que diabo tantos países centro-asiáticos têm nome acabado em “istão”? E ainda, será que eles não investigam imediatamente qualquer pessoa que aceda ao site? Nesse caso, devem agora estar a tentar descobrir onde fica Portugal e qual a diferença entre Vila Nova de Gaia e o Porto. A primeira questão pode ser respondida acedendo ao CIA World Factbook – espero que se lembrem – mas a segunda vai dar-lhes mais trabalho. Rezemos para que um satélite mal focado não confunda os barcos-rabelo com navios de guerra e as cubas de vinho do Porto com depósitos de armas químicas.

 
Enfim, vai-se a ver e a Wikipedia é mais fiável e segura…


publicado por José António Abreu às 11:37
link do post | comentar | favorito

dentro do escafandro.
pesquisar
 
Janeiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


à tona

Traduções

O andróide e a maçã

Perder a empatia

Podemos consultá-la desca...

Hiperligação

Ainda estou a tentar deci...

Facebook

Mistério

Acho que só temos de tama...

Benjamin Button

Consultando a CIA.

4 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
reservas de oxigénio
Clique na imagem, leia, assine e divulgue
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!
tags

actualidade

antónio costa

blogues

cães e gatos

cinema

crise

das formas e cores

desporto

diário semifictício

divagações

douro

economia

eleições

empresas

europa

ficção

fotografia

fotos

governo

grécia

homens

humor

imagens pelas ruas

literatura

livros

metafísica do ciberespaço

mulheres

música

música recente

notícias

paisagens bucólicas

política

porto

portugal

ps

sócrates

televisão

viagens

vida

vídeos

todas as tags

favoritos

(2) Personagens de Romanc...

O avençado mental

Uma cripta em Praga

Escada rolante, elevador,...

Bisontes

Furgoneta

Trovoadas

A minha paixão por uma se...

Amor e malas de senhora

O orgasmo lírico

condutas submersas
Fazer olhinhos
subscrever feeds