como sobreviver submerso.

Sábado, 28 de Março de 2015
Quem é (ou, vá, era) amiguinho do BES?
Câmara Municipal de Lisboa permite que empresa ligada ao BES construa quase o dobro do que o dono anterior.


publicado por José António Abreu às 09:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2014
A versão

Não obstante existir algum endividamento anterior, os problemas do Grupo Espírito Santo decorreram exclusivamente da crise financeira internacional de 2008, tendo a gestão tomado sempre as medidas mais adequadas e dispondo de uma solução que, indo sem dúvida resolvê-los, apenas má-fé alheia inviabilizou. Honestamente, custa-me perceber como podem os socialistas não empatizar com uma explicação destas.


tags: , ,

publicado por José António Abreu às 07:59
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 9 de Dezembro de 2014
Os inocentes

Ricardo Salgado usou a táctica do costume: nada aconteceu em resultado das suas acções e tudo se teria resolvido se outras entidades (Banco de Portugal e governo) não lhe tivessem tirado o tapete (o primeiro exigindo a constituição de provisões para as «imparidades» e a saída da família das posições de controlo; o segundo recusando emprestar-lhe uns milhares de milhões de euros). Lembrou-me outros casos. O BPN. O BPP. O BCP. A PT. O PEC IV (ou o processo que a ele conduziu). E, na verdade, também o comportamento de muita gente anónima após acidentes de automóvel mas não vale a pena misturar universos; fiquemos pela «elite» do país. Caso após caso, nunca ninguém assume responsabilidades pela trampa produzida porque, obviamente, não aceita tê-la produzido. Caso após caso, tudo sucedeu em resultado de uma alteração abrupta de circunstâncias («o mundo mudou muito nos últimos quinze dias») e/ou de actos ilícitos de uma personagem menor (no caso do GES, o contabilista da parte não financeira). Mais importante: a solução existia, estava mesmo ali, preparadinha, reluzente, como um presente de Natal cuja abertura despoleta a exclamação sincera: «Uau, era mesmo isto!», e só não foi implementada porque alguém, por incompetência ou interesse, não deixou.

Enfim. Ricardo Salgado tem pelo menos uma vantagem sobre a maioria dos outros banqueiros envolvidos em casos de gestão ruinosa e em particular sobre Sócrates: parece menos arrogante e é incomensuravelmente menos histriónico. Para quem dispensa exibições alarves de testosterona (há um número significativo de criaturas a quem elas causam afogueamento e pernas bambas), sempre vale alguma coisa. De resto, a trampa é a mesma.



publicado por José António Abreu às 20:41
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 14 de Outubro de 2014
O terror e a violação do dito sigilo

Haveria certamente muito a dizer mas, apesar de proletário, estou pouco informado sobre a sintaxe sindicalista (as centrais disponibilizarão cursos co-financiados?) e tenho de admitir que só entendo o terceiro ponto até à primeira vírgula.

 

(Clicando na imagem e seleccionando "outros tamanhos", pode aceder-se a uma versão maior.)



publicado por José António Abreu às 17:57
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 13 de Julho de 2009
Era mais um empréstimo

Wellington Nazaré, o assaltante do balcão do BES de Campolide, condenado na semana passada a 11 anos de prisão (estupidez dele: se tivesse pegado fogo a um refém provavelmente teria apanhado apenas oito), declarou ao i que continua a ser cliente do BES. Significa isto que, tivesse o assalto sido bem sucedido, o BES accionaria o seguro que certamente tem e Wellington e o colega voltariam a lá depositar o dinheiro. Ricardo Salgado pode até ser um dos melhores gestores nacionais mas neste caso revelou falta de visão. Pelo menos ficou a saber que mesmo os clientes tratados a tiro estão satisfeitos com o serviço do banco.



publicado por José António Abreu às 21:17
link do post | comentar | favorito

dentro do escafandro.
pesquisar
 
Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


à tona

Quem é (ou, vá, era) amig...

A versão

Os inocentes

O terror e a violação do ...

Era mais um empréstimo

reservas de oxigénio
Clique na imagem, leia, assine e divulgue
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!
tags

actualidade

antónio costa

blogues

cães e gatos

cinema

crise

das formas e cores

desporto

diário semifictício

divagações

douro

economia

eleições

empresas

europa

ficção

fotografia

fotos

governo

grécia

homens

humor

imagens pelas ruas

literatura

livros

metafísica do ciberespaço

mulheres

música

música recente

notícias

paisagens bucólicas

política

porto

portugal

ps

sócrates

televisão

viagens

vida

vídeos

todas as tags

favoritos

(2) Personagens de Romanc...

O avençado mental

Uma cripta em Praga

Escada rolante, elevador,...

Bisontes

Furgoneta

Trovoadas

A minha paixão por uma se...

Amor e malas de senhora

O orgasmo lírico

condutas submersas
Fazer olhinhos
subscrever feeds