como sobreviver submerso.

Quinta-feira, 23 de Março de 2017
Claramente, ninguém informou Dijsselbloem sobre as reformas levadas a cabo nos últimos anos
Em relação ao passado, ele até pode ter razão. Mas, por favor, alguém lhe diga que o Elefante Branco fechou e o Pérola Negra já não é o que era.


publicado por José António Abreu às 08:28
link do post | comentar | favorito

Domingo, 15 de Maio de 2016
Excerto com coelhos e - em dia de decisão do título - adição de referências futebolísticas

1. A vantagem de jogar em casa

Por fim, ensina-me a construir gaiolas para os coelhos e dá-me conselhos e indicações sobre a comida, como tratar as doenças e essas coisas. E fala-me um pouco da cobrição:

– Tens de meter a fêmea onde está o macho, e nunca o contrário. Nunca o macho onde está a fêmea.

– E por que razão? – pergunto.

– Porque aí o macho encontrará duas novidades com que se entreter, uma fêmea e um território novo. É demasiado. Ficará confuso, e isso não é nada bom nestas situações, pois, ao fim e ao cabo, é ele quem tem de tomar a iniciativa – diz o Der Warming, dando-me uma cotovelada cúmplice. – E se não acontecer nada passados dois minutos – continua -, separa-os, porque isso quer dizer que não é o momento adequado do ciclo da coelha e podem pegar-se. Na pior das hipóteses, ela pode arrancar-lhe as bolas num instante.

– A fêmea onde está o macho – repito.

– Isso mesmo; se ele jogar em casa, correrá tudo bem.

– Mas então será a fêmea que ficará confusa – digo.

– Não importa; isso até pode ser uma vantagem – diz.

 

2. Os golos metidos fora valem mais

Quando chego a casa, mostro-lhes os coelhos e, antes que eu tenha tempo de reagir, o pai junta o macho a uma das fêmeas.

– A fêmea onde está o macho – protesto – disse o Der Warming. O macho tem de jogar em casa.

– Que parvoíce – diz. – Isso não quer dizer nada se ele for um verdadeiro macho.

 

3. Saltando os preliminares e indo directamente aos penáltis

E é um verdadeiro macho. Salta logo para cima da coelha, agarra-se bem ao seu pescoço com os dentes e monta-a – aprendi que se diz assim –, para, em seguida, lançar um grunhido e cair de lado.

 

4. O nível adequado de celebração (sim, sou sportinguista)

Ela, no entanto, não parece muito afectada e continua a comer.

 

Erling Jepsen, A Arte de Chorar em Coro.

Edição Cavalo de Ferro (2016), tradução de João Reis.

 

 

Adenda: Citada na badana do livro, a opinião da crítica Lisa Garsdal, no jornal dinamarquês Politiken, acerta em cheio no alvo: Não há absolutamente nada para rir no original thriller caseiro de Erling Jepsen; simplesmente, não se consegue evitar.


tags: ,

publicado por José António Abreu às 18:55
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 1 de Abril de 2016
Só hoje

O governo está a surpreender-me pela positiva. A Jessica Chastain ligou-me finalmente. Desejo a todos um péssimo fim-de-semana.


tags:

publicado por José António Abreu às 18:28
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 13 de Fevereiro de 2016
Bolas, já passa da meia-noite
E nem ganhei o Euromilhões nem a Jessica Chastain se apaixonou por mim.

tags:

publicado por José António Abreu às 00:01
link do post | comentar | favorito

Domingo, 24 de Janeiro de 2016
Secção de voto

Descobri hoje que partilho a secção de voto com Rui Rio. Votámos quase em simultâneo. Ainda espreitei mas - lamento - não posso garantir que ele tenha votado em Marcelo.



publicado por José António Abreu às 18:21
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2016
«Querida, vamos voltar a falar daquela minha fantasia, agora que sei que está de acordo com a tua natureza...»
Estudo conclui: não há mulheres heterossexuais.


publicado por José António Abreu às 18:39
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 5 de Outubro de 2015
Como parece estar na moda...

Blogue_eleicoe2015_mapa.jpg

 

SECESSÃO, JÁ!

 

(Infografia: Legislativas2015.pt)


publicado por José António Abreu às 08:13
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015
Uma explicação para os resultados das sondagens que - estranhamente - nenhum comentador avançou até agora

E se o PS tiver entrado numa espiral recessiva?



publicado por José António Abreu às 12:03
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 25 de Setembro de 2015
Caramba, já nem disfarçam...

Blogue_DescCartão_1.jpg

 

Cada vez mais relegados para segundo plano.



publicado por José António Abreu às 10:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2015
Fazendo jus ao nome

Blogue_FeiraLivro2015_1.jpg

 

Feira do Livro do Porto, 2015.

 

(Ainda pensei que fosse uma piada inteligente da organização da Feira mas a editora existe.)


tags: ,

publicado por José António Abreu às 09:24
link do post | comentar | favorito

Domingo, 13 de Setembro de 2015
Ponto de honra

Blogue_JantarS.jpg



publicado por José António Abreu às 09:08
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 28 de Julho de 2015
Eh, what's not up, wabbit?

Surgido pela primeira no dia 27 de Julho de 1940, em The Wild Hare, do genial Tex Avery, com uma aparência ainda longe daquela com que ficaria mais conhecido mas já com voz (e sotaque nova-iorquino) do polifónico Mel Blanc, Bugs Bunny fez ontem 75 anos. Mordaz, senhor do seu nariz e da sua cenoura, raramente vencido, é um dos meus heróis desde a época dos programas televisivos de Vasco Granja. O tempo, contudo, trouxe-me uma perplexidade: para coelho, e apesar de um outro flirt ao longo da carreira, Bugs interessou-se surpreendentemente pouco pelo sexo oposto (admita-se: existem humanos, lá pela Califórnia e noutros sítios, com maior fixação em coelhinhas do que ele) e deixou pouquíssima descendência.

 

Adenda: A última vez que Mel Blanc lhe cedeu a voz foi em 1988, no filme da Disney Quem Tramou Roger Rabbit?, realizado por Robert Zemeckis. De modo a permitir o uso de Bugs, a Warner exigiu que ele estivesse no ecrã pelo menos tanto tempo como o rato Mickey. Zemeckis foi mais longe. Não somente lhes concedeu o mesmo tempo de exposição (enfim, tudo cronometrado, Mickey deve ganhar por quase um segundo) como os fez partilhar a mesma cena. Nela, Bugs e Mickey caem lado a lado de pára-quedas, fornecendo a Eddie Valiant - excelente Bob Hoskins - um «sobresselente» que não constitui grande ajuda. O que salva Valiant (como tantos homens) é a paixão de uma mulher.



publicado por José António Abreu às 13:41
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 16 de Julho de 2015
Destes tempos de simplicidade, quiçá de involução linguística

O léxico mingua. Camilo conglobava uma miríade de vocábulos hoje alóctones. Qual filigrana rococó, Aquilino desembuçava concatenações multifárias e buriladas. Hoje, bulhufas. Mas as sarandalhas palmeiam. Pascácios conjecturando-se paladinos do discernimento coagem a aceleração da declividade, assestando vitupérios na Internet sobre almas ensimesmadas que se afoitam à geração de verbetes prenhes de ímprobas lexias. Pelejar é supervacâneo. Antes arriar.



publicado por José António Abreu às 16:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 11 de Julho de 2015
Agora que o governo grego cedeu...

Já se pode voltar a chamar «Troika» às «Instituições»?



publicado por José António Abreu às 17:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 8 de Junho de 2015
Beleza interior

Só pode. Montes dela. Um autêntico Hugh Jackman por dentro. Ou, pelo menos, fica a esperança. Porque, exteriormente, trinta graus de temperatura deixam-me com o aspecto (e, suspeito, com o odor) de uma camisola do Benfica logo após um jogo decidido no último minuto do prolongamento. Ainda por cima, o que diabo se passa com o meu cabelo? (Está comprido e tem vontade própria, é isso que se passa.) E por que raio comprei esta roupa?

 

 

(Tanta coisa inconstitucional e temperaturas destas são permitidas...)

 

(Vem um tipo viver para o Porto porque Lisboa é que é quente...)

 

(Quando é que chega o Inverno, carago?)


tags: ,

publicado por José António Abreu às 14:19
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 27 de Abril de 2015
Traduções
Ao escrever o texto sobre Linda Fiorentino e The Last Seduction ponderei usar o termo «bitch» em português. Verifiquei traduções possíveis. Como seria de esperar, o Dictionary.com oferece várias hipóteses: a female dog; a malicious, unpleasant, selfish person, especially a woman; a person who is submissive or subservient to someone, usually in a humiliating way. Numa tradução directa para português, o Google escolhe «cadela». Já o Bing... bom, o Bing não está com meias-medidas. Ora façam o teste.


publicado por José António Abreu às 13:40
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 24 de Abril de 2015
O andróide e a maçã

33°30'52.5"N 73°03'33.2"E

 

Façam o favor de introduzir as coordenadas acima no Google Maps. Mas depressa, antes que a Google reaja.

 

(Se encontraram tudo normal, o que se passava era isto.)
Adenda: a Google já resolveu a questão; uns brincalhões puseram nas coordenadas indicadas (algures no Paquistão) o símbolo do sistema operativo andróide a urinar numa maçã.


publicado por José António Abreu às 16:06
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 16 de Abril de 2015
Caramba, a Fundação pode ser «Santos» mas não é «Silva» e eu posso ser «José» mas não sou... filósofo
E de repente, a propósito disto, passei a ouvir a frase: «Então quem é que te pagou o almoço hoje?»

tags:

publicado por José António Abreu às 19:47
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 13 de Abril de 2015
Viajante moderno

Nas deslocações frequentes e muitas vezes prolongadas que fazia a países em quase todos os continentes, nunca levava bagagem. Tinha tudo na nuvem.



publicado por José António Abreu às 20:42
link do post | comentar | favorito

Sábado, 11 de Abril de 2015
Vícios

Não fumo. Não bebo bebidas alcoólicas. Raramente tomo café. Tenho padrões de exigência elevados: faço questão de não ganhar vícios que possam ser admitidos em público.


tags:

publicado por José António Abreu às 23:04
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 2 de Abril de 2015
De eventuais homenagens a Manoel de Oliveira

Um minuto de imobilidade e silêncio parece-me claramente insuficiente.

 

 

 

(Desculpem; é mais forte do que eu. Ignorai-me e passai uma excelente Páscoa.)


tags: ,

publicado por José António Abreu às 16:13
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 31 de Março de 2015
Vermes comandados pelo cérebro que não têm

Os homens são capazes de ignorar a fome e ir à procura de um par. Um novo estudo feito numa espécie de vermes comprovou que a culpa não é propriamente deles, mas sim do seu cérebro.

No Observador, por Carolina Santos.

 

Confesso: a primeira coisa que fiz, ainda antes de ler o artigo, foi verificar se tinha sido escrito por uma mulher. Em primeiro lugar pela deliciosa associação entre homens e vermes (eu sei que o estudo foi mesmo realizado em vermes mas talvez fosse mais correcto e abrangente usar «machos» em vez de «homens»). Depois pela igualmente deliciosa facilidade com que se aceita a extrapolação do comportamento dos referidos vermes para o ser humano, deixando de lado eventuais diferenças a nível de - sei lá - número de neurónios. Finalmente pelo ainda mais delicioso recurso à velha dicotomia corpo-mente, na tentativa magnânima de desculpar essas criaturas vermiculares e desprovidas de neurónios, os homens (obrigado, Carolina; se vieres ao Porto nos próximos tempos avisa e vamos jantar, OK?; ou então até podemos saltar o jantar, que para mim é secundário). Porque a culpa (e tanto haveria a dizer sobre o facto de, mesmo após a ciência justificar o comportamento, poder continuar a associar-se-lhe o conceito - a ter de culpar-se alguém, que tal escolher Deus?) é do cérebro, não é propriamente dos homens. Só uma mulher podia considerar que quaisquer seres humanos - machos, fêmeas, hermafroditas - se definem por factores externos ao cérebro.

 

Nota 1. Como o meu sentido de humor não é partilhado por toda a gente - mas Kafka também se ria ao ler as suas histórias aos amigos e poucos leitores delas fazem o mesmo desde então -, fica o alerta: este texto contém ironia e pretende ser uma provocação benigna.

 

Nota 2. Não, não estou a comparar o que escrevo ao que Kafka escrevia. Em contrapartida, a minha vida é quase tão excitante quanto foi a dele.

 

Nota 3. Agora vou dar descanso aos neurónios que não tenho, parar com estas notas e entreter-me a observar as mulheres que andam por aqui, OK?

 

Nota 4. Estranho. Estou com fome.



publicado por José António Abreu às 15:31
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 26 de Março de 2015
A sina da modéstia

Agora já bem entrado nos setenta, o mestre da Morávia sentia-se mais divertido do que intimidado pela cultura dos festivais; gostava de contar a história de como, ao tentar encontrar o caminho do palco para agradecer os aplausos no festival ISCM de 1925, abrira a porta errada e achara-se na rua.

Alex Ross, em The Rest is Noise, sobre o compositor checo Leoš Janáček (há uns anos escrevi um texto acerca dele). Edição Farrar, Strauss and Giroux, tradução minha.


publicado por José António Abreu às 20:33
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 25 de Março de 2015
Intolerâncias

Alastram, são cada vez mais assumidas, tornam-se moda. Quem, há vinte ou trinta anos, ouvira falar da intolerância à lactose ou ao glúten?



publicado por José António Abreu às 16:51
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 16 de Março de 2015
Supremo mantém Sócrates em prisão preventiva

Enfim, não exactamente. «Prisão preventiva» apenas seria a expressão correcta se ela tivesse ocorrido em 2005. Ou, vá lá, em 2007.



publicado por José António Abreu às 16:54
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 10 de Março de 2015
Excertos do Graham Norton Show (1)

Sir David Attenborough, 88 anos de idade bem conservados, flirtando com Jessica Chastain (como o entendo).


publicado por José António Abreu às 13:18
link do post | comentar | favorito

Domingo, 1 de Março de 2015
Já se sabe: os alemães não têm sentido de humor



publicado por José António Abreu às 08:49
link do post | comentar | favorito

Sábado, 21 de Fevereiro de 2015
Previsão de efeitos da aplicação prática da teoria dos jogos (com ironia mas sem bluffs)

Negativos

Governos da Zona Euro ver-se-ão obrigados a apresentar orçamentos rectificativos para acomodar aumento de despesas com viagens. O anúncio gerará contestação na Bélgica, levando à demissão do governo (seguindo tradição local, as perspectivas de desempenho da economia melhorarão de imediato).

 

Positivos

Companhias aéreas europeias comunicarão ter tido o melhor mês de Fevereiro do milénio. Aeroporto de Bruxelas ocupará lugar entre os mais concorridos do planeta. Governo português anunciará que as receitas previstas com a privatização da TAP foram revistas em alta, devendo permitir eliminar a sobretaxa do IRS antes das eleições legislativas. Lufthansa anunciará instalação de um lugar para atracagem de cadeiras de rodas em todos os aviões (responsável afirmará: «Para além de ser positivo para a nossa imagem, julgamos que é rentável e evita que as assistentes de bordo tenham que andar todos os dias com o ministro das finanças ao colo»).


tags: ,

publicado por José António Abreu às 16:28
link do post | comentar | favorito

Sobre a posição de Maria Luís Albuquerque

Ao vivo e com a passagem dos dias, ele vai ficando menos sexy. Acontece a quase todos.


tags: ,

publicado por José António Abreu às 10:26
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2015
Façam figas

Sexta-Feira, 13. Seguida, em Março, por outra sexta-feira, 13. Já não havia um mês com tamanho potencial para o azar desde 2009.


tags:

publicado por José António Abreu às 09:49
link do post | comentar | favorito

dentro do escafandro.
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
15
16
18

20
22
24
25

26
27
28
29
30
31


à tona

Claramente, ninguém infor...

Excerto com coelhos e - e...

Só hoje

Bolas, já passa da meia-n...

Secção de voto

«Querida, vamos voltar a ...

Como parece estar na moda...

Uma explicação para os re...

Caramba, já nem disfarçam...

Fazendo jus ao nome

Ponto de honra

Eh, what's not up, wabbit...

Destes tempos de simplici...

Agora que o governo grego...

Beleza interior

Traduções

O andróide e a maçã

Caramba, a Fundação pode ...

Viajante moderno

Vícios

De eventuais homenagens a...

Vermes comandados pelo cé...

A sina da modéstia

Intolerâncias

Supremo mantém Sócrates e...

Excertos do Graham Norton...

Já se sabe: os alemães nã...

Previsão de efeitos da ap...

Sobre a posição de Maria ...

Façam figas

reservas de oxigénio
Clique na imagem, leia, assine e divulgue
Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!
tags

actualidade

antónio costa

blogues

cães e gatos

cinema

crise

das formas e cores

desporto

divagações

douro

economia

eleições

empresas

europa

ficção

fotografia

fotos

futebol

governo

grécia

homens

humor

imagens pelas ruas

literatura

livros

metafísica do ciberespaço

mulheres

música

música recente

notícias

paisagens bucólicas

política

porto

portugal

ps

sócrates

televisão

viagens

vida

vídeos

todas as tags

favoritos

(2) Personagens de Romanc...

O avençado mental

Uma cripta em Praga

Escada rolante, elevador,...

Bisontes

Furgoneta

Trovoadas

A minha paixão por uma se...

Amor e malas de senhora

O orgasmo lírico

condutas submersas
Fazer olhinhos
subscrever feeds